Pular para o conteúdo principal

Postagens

Sublime Perfeição.

Chega a manhã e eu posso contemplar a Tua beleza
A sua perfeição se sobrepõe aos meus pecados
Nenhuma palavra existente explica tal ato
E ainda fosse possível, neste plano não caberia.

E não viveria sem a tua Presença gloriosa
Me sentiria como o ar rarefeito, desprovido de fôlego
Tudo o que existe já declara a Tua existência
Toda a criação é o selo do Seu maravilhoso poder.

Para todo aquele que crer terá a vida Eterna
Porque o mundo é estrado dos Seus pés
Mas se depois de tudo não quiserem crer em Ti
Já estarão fadados ao inferno eterno. És um Deus visível.

Desde o nascer do Sol, passando por toda a extensão do Mar
Sentindo o vento que move a hélice e a grama do chão de asfalto
Tudo foi feito para o louvor da sua Glória.
Então tudo que ainda tem fôlego declare suas Maravilhas.
Postagens recentes

Novamente Esperança

Na minha angústia clamei ao Deus de todo o Céu pra me socorrer
E Ele como pai amoroso resgatou-me com forte mão e respirei
Pude contemplar a glória e com gratidão dar-lhe um cântico novo.

Meu coração novamente foi cheio de Esperança por um novo dia
Eu voltei a sonhar os sonhos que em mim Ele mesmo plantou
Que a Tua glória encha toda a Terra assim como as águas cobrem o mar

E que ninguém se vá deste mundo sem conhecer a Face do Senhor
Faz de mim ó Deus instrumento da vossa paz e proclamador da Salvação
Dentro e fora de tempo bendirei tuas maravilhas e exaltarei seu Nome.




Sobre a Páscoa: Ele não está morto. Ele ressuscitou!

Desde que a pedra do sepulcro foi rolada, todos viram que o corpo já não estava lá. Ele foi a partir desde dia o cumprimento da vontade do Pai, que nos queria religados a sua Presença novamente. Como é possível tal ato? Se fez carne literalmente pra sofrer o que sofremos nesta Terra e sentiu TODA a nossa angustia, dor, desprezo, tentações, aflições...

Me pego pensando que foi muito além da Cruz, foi um amor desmedido, um amor sem limites,um amor de puro sangue que nos deu a cura dos pecados e de água do Espírito, que permitiu conhecer a Deus no mais profundo da Verdade e em Verdade.

E mesmo lançando sorte com sua túnica, zombando da sua tão divina majestade com uma dolorida coroa de espinhos ele resistiu até o fim, consumando tudo com o último brado mais profundo diante de todos e dos Céus.

Nós somos aquele ladrão que estava ao seu lado reconhecendo que nEle não havia crime, nem delito pra estar ali, mas estava levando a nossa culpa. E ainda lhe dizemos: lembra-te de nós quando e…

Poema pra Deus me Ler

Esquadrinhas tudo em mim, tudo sabes da existência
Nada passa despercebido aos Teus Olhos. Nada.
E eu ser tão pequeno clamo mais uma vez sua atenção.

Eu faço de mim mesmo texto para que leia e corrija
Corrija-me com fogo puro e o Sangue mais Vermelho
Endireite essas minhas tortas linhas tão descompassadas.

Torna-me mais alvo como a neve das folhas do Livro da Vida
Faz-me livre e leve pelo caminho da Santidade
A visão da Tua glória e a presença tudo ao redor avivam.

As pessoas correm, encurtam os dias, somem os minutos
Não tem mais utilidade um relógio porque o Fim arrasta
Como um poema novo na placa de Vidro, impressiona a Eternidade.

Fenda da Salvação

Infinitas são Tuas misericórdias para com os que Te amam
Porque quando correm os dias em meio à guerra, És refúgio
E sigo clamando até que transforme águas amargas em doces.

Lá no cume do monte pude contemplar a beleza da Tua criação
E eu tão pó, ser simples sem Ti, desfaleço e assim vejo a Glória
Faz-me inabalável, espírito reto escondida na fenda da Salvação.

Que fujam os céus, sequem os mares diante da Tua Magestade
Com Trono em lugar celestial tens a Terra por estrado dos pés
Com a Palavra fizeste o Verbo que se fez vivo e eu pude te Ver.

Memórias da Eternidade

Pela estrada barrenta estava quase a me perder sem Ti
A areia fina e sol rachavam e eu já não via a Luz
Não haviam casas e tudo parecia sem vida em meio à sombra.


Quilômetros tão distante de tudo, sem comida, sem bebida e só um lápis
As pedrinhas marcavam as pegadas do meu "eu" já sem memórias
E eu na folha tentava me lembrar da vida, das Palavras de Vida, da Eternidade.


Quisera eu voltar à época do maná, do leite e mel e dos sacrifícios a cada passo
Mas o horizonte traz tudo que era perdido nas caixas da minha lembrança
Enquanto a sombra persiste, a espada de prata corta e desenha contornos da nova paisagem.







Rarefeito (A segunda glória)

Passam-se todas as coisas como a nuvem da tempestade
Tudo o que se via hoje, foi muito real ontem á tarde
E eu caminhei até os pensamentos mais profundos pra Te achar.


A porta ainda está estreita e o ar rarefeito sufoca minhas ideias
O lápis já sem ponta escreve as palavras que a alma quer gritar
As folhas são um atestado de sanidade que declara a vinda do Reino.


As coisas já se fizeram novas, mas é preciso nascer de novo e esquecer o passado
Eu levanto e escalo as paredes do templo pra ver a Sua glória até cegar a visão
Quando todo o sangue sujo é absorvido pela Santidade eu vejo Tua Face.