Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2014

No terceiro dia, ressurreição(Um poema sobre a Páscoa)

Eu caminhei por longos dias
Eu achava que tinha uma vida
Eu pensava que sobre todas as coisas sabia.


Mas na verdade eu estava cega, com uma fé incompleta
Pois procurava o que Vive, lá onde os mortos estavam
Paredes de pedra, imagens de barros, coração enganado.


Até que um dia a Tua voz ouvi e Te percebi
Descobri que sempre moravas em mim e que nunca Estavas ali
Pude conhecer o Deus de toda a graça que me deu a Salvação.


Hoje tenho nova vida, novo coração e vivo com Cristo a alegria da Ressurreição.



Sem espelhos, vasos rachados...

A madrugada me isola nas minhas dores sem sabor nenhum
Entre lágrimas e riso não sei aonde pisar, é difícil calar a alma
Não tenho espelhos porque não me vejo mais neles.


Ruas parecem tão largas, enquanto a minha vida corre estreita
E a santidade tenta embelezar essas paredes tão feias. Foi-se a cor.
Dou voltas em círculos mas não tenho outro destino.


Minha mente sobrevive atenta e meu coração surrado respira forçado
Meu caminhar já foi fácil, mas agora o calendário passa rápido
Minhas palavras eram mais doces, meu abraço confortador.


Com toda a força ergo as mãos a Ti, clamando cura e perdão
Restaura esse vaso rachado para que Teu Espírito seja derramado
Faz-me bradar Teus louvores e me devolve a vida sem dor, uma nova cor.