Pular para o conteúdo principal

Teu Reino, um Paraíso

Eu andei muitos quilômetros, percorri fronteiras
Resisti às tempestades e perdi o medo da noite
Dobrei meus joelhos e me derramei em louvores.

Quadros antigos com outras paisagens não valem mais
Preferi buscar um novo horizonte no céu azul
E jogar fora as roupas velhas e sapatos apertados.

Apresentaram-me uma nova vida muito mais bonita
Onde vi Cachoeiras cintilantes, montanhas elegantes
As flores tinham cores platinadas e brotava leite e mel.

Como orquestra alegre cantava o pássaro imponente
Os animais mansos pra pessoas nem ligavam
Tinham folhas e frutos para cada mês do ano.

Rios cor de esmeralda brilhavam como cristal
Margens de terra fofinha germinam nossos sonhos
Estações obedecem a voz do Criador, vertendo a brisa.

E aquele que se entregou como ovelha muda, sem pecado
Agora está sobre o Trono, e pelo povo é exaltado Rei
Seu sacrifício não foi fácil, só por amor se pode entender.
 

Comentários

Walmick Menezes disse…
Toda expressão escrita faz referencia a uma circunstancia... em cada palavra... você! Em cada estrofe, você, seu mundo, seu espaço... Muito forte. Amei. Parabéns!!

Postagens mais visitadas deste blog

Fenda da Salvação

Infinitas são Tuas misericórdias para com os que Te amam
Porque quando correm os dias em meio à guerra, És refúgio
E sigo clamando até que transforme águas amargas em doces.

Lá no cume do monte pude contemplar a beleza da Tua criação
E eu tão pó, ser simples sem Ti, desfaleço e assim vejo a Glória
Faz-me inabalável, espírito reto escondida na fenda da Salvação.

Que fujam os céus, sequem os mares diante da Tua Magestade
Com Trono em lugar celestial tens a Terra por estrado dos pés
Com a Palavra fizeste o Verbo que se fez vivo e eu pude te Ver.

Poema pra Deus me Ler

Esquadrinhas tudo em mim, tudo sabes da existência
Nada passa despercebido aos Teus Olhos. Nada.
E eu ser tão pequeno clamo mais uma vez sua atenção.

Eu faço de mim mesmo texto para que leia e corrija
Corrija-me com fogo puro e o Sangue mais Vermelho
Endireite essas minhas tortas linhas tão descompassadas.

Torna-me mais alvo como a neve das folhas do Livro da Vida
Faz-me livre e leve pelo caminho da Santidade
A visão da Tua glória e a presença tudo ao redor avivam.

As pessoas correm, encurtam os dias, somem os minutos
Não tem mais utilidade um relógio porque o Fim arrasta
Como um poema novo na placa de Vidro, impressiona a Eternidade.

Uma sala na Casa de Deus

Eu estava sem rumo e fui atrás de abrigo
A tempestade diminuiu a fé e tremi
Os meus ossos clamam por socorro enquanto me ajoelho pra guerra.


Subi o monte para ver sua face, fiquei firme e ergui um altar
As nuvens encobriam as paredes da casa e no chão o reflexo
Enquanto as janelas eram de cristal puro e as batentes de platina.


O piso de granito e mármore eram cobertos pelo Teu manto
O Teu manto da cor branca mais pura, meus olhos contemplaram
Suas mãos estavam fixamente estendidas e no peito um escudo.


Sua face reluzente e brilhante era quase indecifrável.
Tua gloria encheu a sala e eu fiquei entorpecido pela Presença
Como posso eu Ser simples e mortal, compreender lá do Alto sem a Sabedoria?


Pois sem crer não é possível ditar as maravilhas que no Céu habitam
Lá mora Deus, que em tudo e sobre todos tem poder. Ele é o Criador.
Já eu, daqui contemplo e exalto a Tua Majestade, oh Senhor.