Pular para o conteúdo principal

A vela e o copo d'agua (Um poema triste sobre a solidão)

A madrugada parecia tão infinita com a falta de luz
Meus pensamentos circulavam entre o Céu e o Inferno
Enquanto meu coração gritava para que não Fosse embora.

A solidão me consumia como se andasse à beira do precipício
Tudo transformou-se em dor com ausência completa do amor
E num segundo meus olhos já não podiam ver as Tuas mãos.

Na guerrilha entre a vontade da minha carne e o anseio pela Sua glória, quase morri
Nenhum sentimento era como antes, a inocência de menina já tinha sumido
Porque minhas lágrimas secaram com os gritos desesperados.

Então em meio a essa tempestade e emoções em turbilhão, adormeci.
Apenas a luz dourada de uma vela me fazia companhia perto da minha cama
E a minha garganta sem voz de tanto suplicar pra que Tú não fosses embora, emudeceu.

E a sede pelos raios de uma nova manhã era saciada por um simples copo d'agua...



 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Novamente Esperança

Na minha angústia clamei ao Deus de todo o Céu pra me socorrer
E Ele como pai amoroso resgatou-me com forte mão e respirei
Pude contemplar a glória e com gratidão dar-lhe um cântico novo.

Meu coração novamente foi cheio de Esperança por um novo dia
Eu voltei a sonhar os sonhos que em mim Ele mesmo plantou
Que a Tua glória encha toda a Terra assim como as águas cobrem o mar

E que ninguém se vá deste mundo sem conhecer a Face do Senhor
Faz de mim ó Deus instrumento da vossa paz e proclamador da Salvação
Dentro e fora de tempo bendirei tuas maravilhas e exaltarei seu Nome.




Poema pra Deus me Ler

Esquadrinhas tudo em mim, tudo sabes da existência
Nada passa despercebido aos Teus Olhos. Nada.
E eu ser tão pequeno clamo mais uma vez sua atenção.

Eu faço de mim mesmo texto para que leia e corrija
Corrija-me com fogo puro e o Sangue mais Vermelho
Endireite essas minhas tortas linhas tão descompassadas.

Torna-me mais alvo como a neve das folhas do Livro da Vida
Faz-me livre e leve pelo caminho da Santidade
A visão da Tua glória e a presença tudo ao redor avivam.

As pessoas correm, encurtam os dias, somem os minutos
Não tem mais utilidade um relógio porque o Fim arrasta
Como um poema novo na placa de Vidro, impressiona a Eternidade.

Sublime Perfeição.

Chega a manhã e eu posso contemplar a Tua beleza
A sua perfeição se sobrepõe aos meus pecados
Nenhuma palavra existente explica tal ato
E ainda fosse possível, neste plano não caberia.

E não viveria sem a tua Presença gloriosa
Me sentiria como o ar rarefeito, desprovido de fôlego
Tudo o que existe já declara a Tua existência
Toda a criação é o selo do Seu maravilhoso poder.

Para todo aquele que crer terá a vida Eterna
Porque o mundo é estrado dos Seus pés
Mas se depois de tudo não quiserem crer em Ti
Já estarão fadados ao inferno eterno. És um Deus visível.

Desde o nascer do Sol, passando por toda a extensão do Mar
Sentindo o vento que move a hélice e a grama do chão de asfalto
Tudo foi feito para o louvor da sua Glória.
Então tudo que ainda tem fôlego declare suas Maravilhas.